Processamento em Nuvem

A Computação em Nuvem é uma tendência mundial atualmente. Com o grande salto que a internet teve nos últimos anos, com as facilidades de se virtualizar equipamentos e a estabilidade das conexões, armazenar e processar dados remotamente tornou-se muito vantajoso.

E quais são essas vantagens?
Não ter que se preocupar com constantes atualizações de hardware e software, uma vez que isso fica por conta do fornecedor do serviço.
Seja uma empresa ou pessoa física, o usuário da computação em nuvem deve apenas manter seu browser atualizado, assim como seu antivírus.
O usuário pode inclusive contratar um software como serviço (da sigla em inglês SaaS), pagando somente uma mensalidade ou invés de pagar licenças de uso. O custo é muito menor e a agilidade, maior.

 

As aplicações rodam na infra-estrutura do fornecedor, de forma que o usuário sequer precise saber das especificações técnicas necessárias para rodar o programa em questão.
O trabalho corporativo e o compartilhamento de arquivos  tornam-se muito fáceis neste modelo de trabalho remoto, pois tudo está à distância de alguns cliques, através da internet.

Existem desvantagens?
Como tudo na vida, sim, há desvantagens. Caso seja necessária uma grande taxa de transferência e se a internet não tiver uma boa velocidade de upload e download, o sistema pode ficar muito lento.
Muitas vezes o local onde está o usuário não oferece internet banda larga ou simplesmente não há internet, como em algumas regiões do Brasil. Então a computação em nuvem e o software como serviço serão impraticáveis.
Em alguns pontos existe internet por satélite, muito cara, tornando o custo inviável.
A segurança da informação é outro ponto crítico. Apesar dos pesados investimentos por parte dos fornecedores, sempre existirá o risco de se perder os dados gravados remotamente, que as informações sejam destruídas ou roubadas por hackers.
Pode acontecer do fornecedor de servidores remotos saia do ar ou, improvável, porém possível, que ele feche as portas e o usuário fique a ver navios, ou melhor, fique a ver um céu sem nuvens...

Mas o que é exatamente uma computação em nuvem?
. Quando permite ao usuário armazenar e processar dados em servidores remotos, que podem estar qualquer lugar do mundo; com baixo investimento e de forma rápida.
. Quando se oferece autosserviço sob demanda, ou seja, a empresa ou a pessoa física pode alocar novos recursos automaticamente, sem intervenções por parte do fornecedor.
. Quando permite acesso amplo via internet, seja via PC, notebook, tablet ou smartphone.
. Quando entrega agrupamento de recursos para serem compartilhados entre diferentes usuários, como planilhas, banco de dados, imagens, documentos, etc.
. Quando o controle de custos é mensurável e pode ser otimizado para economizar recursos, liberando hardware e software somente na medida necessária.

Alguns exemplos:
DropBox, Google Drive, Amazon iCloud, Microsoft SkyDrive, só para citar os mais famosos.

Enfim...
A computação em nuvem e o software como serviço vieram para ficar. Pense nisso quando for adquirir um novo hardware ou quiser simplesmente compartilhar uma planilha.

de: Sorocaba TI